sábado, dezembro 31, 2011

Ouvindo uma Terra que fala: O renascimento do Paganismo e a Ecologia


Demorei muito para ter vontade de postar. Na verdade ando sem vontade de escrever, photoshopar, enfim a área criativa do meu cérebro precisava(ainda precisa) de um tempo para reciclar.
Hoje é um dia simbólico, a passagem de um ano, e representa para nós ocidentais a perspectiva de recomeçar.
Antes de passar, é costume de muitos relembrar os fatos mais marcante do ano. 

Para mim a Música Celta, cultura, imagens e até amigos ligados ao mundo celta e ao neopaganismo estiveram em destaque. 
Conheci pessoas realmente interessantes por meio das redes sociais e me surpreendi com a quantidade de pessoas muito jovens querendo reviver, de uma certa forma como aconteceu nos anos 60 com os hipyees, o paganismo como uma forma de retornar a natureza.

Como eu sou de uma geração de filhos de hipyees e aprendi desde criança amar jardins, animais, passear na serra, na cachoeira acho normal que depois de adultos, as crianças dos anos 70 queiram fazer eventos como o Castlefest na Europa ou o Faerieworls nos EUA,que são uma espécie de Have+FestivalMusic+Cosplay que tem tema central a Idade Média e a Cultura Celta. São adultos que gostam de brincar, de se fantasiar e de muita música.
Além da parte lúdica de tudo isso, a cultura de consciência ecológica chamaram para esse grupo  as pessoas que se preocupam em ter um planeta saudável para viver, uma música feita com instrumentos seculares e que tenham algum sentido maior do que simplesmente consumir e divertir. Cultura de símbolos, livros que fizeram muito sucesso nos últimos anos com o Senhor dos Anéis de J.R.R. Tolkien, além do renascimento de antigas religiões que tem a Natureza como fonte inspiradora da religiosidade.


Encontrei um texto muito interessante no Google sobre o tema. Escrito em 2009 pela Dra em antropologia *Rosalira Oliveira para revista Nures do Centro de Religião e Sociedade da PUC , "O artigo aborda o ressurgimento da tradição pagã no Ocidente, através do movimento denominado Neopaganismo. Traçando um rápido panorama das suas fontes de inspiração e das suas características centrais, a saber: a imanência da divindade e a sacralidade do mundo físico, o artigo centra a sua argumentação na aproximação entre o pensamento religioso neopagão e as preocupações trazidas pelo movimento ecológico, em particular pela Ecologia Profunda." 

Aqui no Brasil esse movimento se confunde com a religião Wicca, na minha opinião, porque vivemos em um país onde o sincretismo religioso, apesar de ser intenso, é muito criticado e alvo de preconceitos por grande parte da sociedade.

"Essa coisa nova parece ser a busca por respostas espirituais aos dilemas dos homens e mulheres contemporâneos. Essa busca, associada a um desencanto com as religiões tradicionais, tem levado uma parcela considerável de pessoas a procurarem, não apenas no Paganismo como também nas diferentes doutrinas orientais e no movimento da Nova Era, uma outra experiência religiosa. Sob esse aspecto, o crescimento destas formas de expressão religiosa pode ser interpretado como uma espécie de “sinalizador”, expressão de uma tentativa social mais ampla de contrabalançar as tendências majoritárias da nossa sociedade consumista e hiper-tecnológica, enfatizando valores como os vínculos comunitários, as relações interpessoais e a integração com a natureza."

"Alguns ecologistas buscam por uma vivência religiosa capaz de proporcionar ao homem contemporâneo essa experiência de pertencimento à natureza e interação com um mundo vivo. Este anseio fez com que muitos ecologistas aderissem à cosmovisão pagã, vendo nela uma espécie de “base espiritual” onde ancorar a sua preocupação ecológica. " 

Tudo isso conjugado a excelência da música Folk e Celta despertaram em mim um grande interesse, já que sou absolutamente fanática por música e por natureza.

Em uma conversa com um amigo ouvi " é moda, uma busca por raízes, mas essas não são nossas raízes, nós deveríamos comemorar o saci pererê !  
Claro que Não meu caro Dr. Watson, nós brasileiros temos raízes na cultura do mundo inteiro e por isso estamos aptos a comemorar qualquer festança que nos der na cabeça! 
Além do que,  já que se faz tanta questão de uma afinidade de sangue, eu sou descendente direta de uma tribo celta dos alpes franceses, bisneta pra ser mais correta, de pessoas que nasceram e viveram nessa terra- Clary- Ródano, Alpes na França desde os tempos mais remotos até o pai do meu avô se enfiar em um navio com sua esposa grávida e aportar em Mogi Guaçu(SP) no começo do século XX.
Aliás, espero que o mundo não se acabe antes do previsto pois pretendo ir em 2012 com meu pai descobrir o segredo do vovô. O que será, meu deus, que ele veio fazer aqui? 


Ninguém sabe, ninguém viu. A esposa morreu e ele voltou para França deixando meu avô bebê aos cuidados de uma pessoa, de quem acabou adotando o sobrenome, e nunca mais se ouviu falar.Então minha aventura de 2011, além de conhecer mais e mais a cultura Celta e Pagã, foi descobrir minha própria história.





Eu não sou uma pessoa propriamente religiosa, no sentido de ter e seguir uma religião formalmente constituída. 
Prefiro a liberdade de pensamento, o senso de justiça e a compaixão como norteadores da minha consciência. 
É uma coisa que eu jamais delegaria a outra pessoa, me dizer o que é certo ou errado. Prefiro seguir meu próprio coração.

Parece que esses meus amigos, Druidistas, Wiccas ou qualquer outra denominação que esses novos jeitos de pensar possam vir a ter, também são amantes da música Celta e Folk.

Independentemente de filosofia ou religião, a música é Universal, alcança e amacia a alma.

Gostaria de comemorar a passagem do ano com muita Música, por isso fiz uma Seleção dos grupos mais significativos e viciantes que descobri.

Que venha 2012!


Omnia
Sem dúvida nenhuma meu favorito


Discografia- Torrents

 Tine Bealtaine





Anúna




Faun

   





Narsilion 




Woodland



Luar na Lubre


 

2 comentários:

Palpites são bem-vindos !